No primeiro dia do Congresso, dez alunos da redacção multiplataforma do congresso, um de cada faculdade aqui representada, entrevistaram o Presidente da República. Aqui fazem um balanço desse momento.

O 20º presidente de Portugal entra na sala onde funciona a redação do Congresso igual ao que nos habituou na TV. Sorridente, cordial e a distribuir cumprimentos. Sobe com agilidade ao palco, e com o à vontade que o caracteriza, reparte beijinhos e apertos de mão entre estudantes. Ao final, volta a espalhar charme e, antes de descer, decide dar “tapinhas “no rosto de uma jornalista, nesse caso eu, chamando-me de “minha querida”. Erro grave. O dente em tratamento “gritou de dor” com o carinho, e acabou com o encanto do momento.
Adriana Afonso, Universidade de Coimbra

Encontrámo-nos de sorriso aberto à entrada do palco: eu e o Presidente da República. Fiquei confiante, entusiasmada por me sentir reconhecida logo no primeiro dia do Congresso dos Jornalistas.
Daniela Marinho Pinto, Universidade Católica de Lisboa

Uma oportunidade única e inesperada. A possibilidade de entrevistar Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, é um momento que qualquer estudante de comunicação deseja ter.
Diogo Oliveira, Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas

Ricardo Dias/Cenjor

Começar o Congresso de Jornalistas em grande. É a melhor forma que encontro para descrever a oportunidade de receber o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, na nossa redação multiplataforma. Nunca irei esquecer aqueles minutos de conversa.
Inês Martins, Escola Superior de Comunicação de Lisboa

A coragem que nos receitou e as histórias de outros tempos que nos contou – tempos diferentes em rótulo, mas talvez semelhantes na essência da luta – ficarão comigo para sempre.
Isabel Patrício, Universidade Nova de Lisboa

Posso resumir esta experiência em frio na barriga, foi o que mais senti, um grande sentimento de responsabilidade diante de uma oportunidade única dessas que não voltam a bater na nossa porta. O que posso dizer? O Senhor presidente Marcelo Rebelo de Sousa é um eloquente comunicador e experiente jornalista. Não podíamos falhar em fazê-lo perguntas sem relevância. Mas no final, o trabalho da nossa equipa de 10 estudantes de jornalismo resultou muito bem. Não vimos o tempo passar e a entrevista a meio já parecia uma conversa com um senhor sábio e sempre disposto a desenvolver os assuntos colocados à mesa, ainda que algumas das perguntas fossem provocativas.
Jessi Martins, Universidade Lusófona

Bruno Lisita (Media Lab - Universidade de Coimbra)

No contexto do Congresso dos Jornalistas, onde os debates criam nuvens parcas em sonhos e onde se procura a moral, o encontro com a personalidade máxima do estado luso, o Presidente da República, e com o Presidente da Assembleia da República, estimula uma vontade de, corajosamente, redigir com uma preocupação social e sensivelmente humana.
Leonor Matos, Universidade do Porto

Entrevistar o Presidente da República parecia, até chegar ao 4º Congresso dos Jornalistas, uma tarefa apenas acessível aos jornalistas consagrados e com décadas de experiência. Sem dúvida um dos momentos mais marcantes de todo este Congresso.
Pedro Afflalo, Universidade da Beira Interior

Afirmar o jornalismo. O lema do congresso, escrito a letras garrafais na parede da redação, cumpriu-se também com a oportunidade dada aos aspirantes a jornalistas de entrevistar o Presidente da República.
Rui Barros, Universidade do Minho

Receitou a todos os que ambicionam o jornalismo como profissão, independência e coragem. Sempre simpático, sempre disponível e sempre positivo. É a imagem que fica de um dia onde tudo começou e eu espero que nunca mais acabe.
Rute Azevedo, Instituto Politécnico de Portalegre

Rui Coutinho/ESCS