O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, realçou a importância que o jornalismo tem para a democracia e lembrou ainda Mário Soares na sessão de abertura do 4º Congresso dos Jornalistas.

Quase 20 anos sem um Congresso dos Jornalistas é  “tempo a mais”, disse o Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que o jornalismo é uma “força da democracia” e que não se deve render aos “órgãos do poder”, lembrando Mário Soares e a sua “luta pela liberdade”. Marcelo disse ser “essencial” a democracia revitalizar-se e sublinhou o papel dos jornalistas.

O chefe de Estado deixou um alerta em relação ao uso das novas tecnologias.

A ligação entre democracia e jornalismo já tinha sido salientada por Sofia Branco, presidente do Sindicato dos Jornalistas, que disse que apesar de no congresso se querer discutir o estado do jornalismo, há algo mais que deve ser tido em conta.

“O direito de informar e de ser informado, consagrado na Constituição da República, está cada vez mais ameaçado”, acrescentou.

“Não há jornalismo sem jornalistas”

A presidente do 4º Congresso dos Jornalistas, Maria Flor Pedroso, agradeceu a todos os que tornaram o encontro possível. Este serve para fazer “um diagnóstico, para solucionar os problemas do presente”. E alerta: “É altura de decidirmos o que queremos deixar de herança”. Maria Flor Pedroso afirmou que o jornalismo não vive sem jornalistas.

Também o presidente da Casa da Imprensa, Goulart Machado, considerou necessária a realização do congresso, algo que era “evidente para os jornalistas há muito tempo”. A importância destes se reunirem foi  salientada por Goulart Machado: “Estamos todos no mesmo barco, somos todos necessários”.

“Estamos na mais grave crise das nossas vidas profissionais”, afirmou Goulart Machado.